Entenda como usar a gamificação em eventos corporativos

gamificação
6 minutos para ler

A gamificação é uma dinâmica que vem sendo muito explorada em eventos corporativos, educacionais e de lançamento de produtos. É baseado na premissa de que, quando expostas a um sistema de tarefas com desafios, fases e recompensas, a atenção das pessoas, assim como seu interesse e seu senso de competitividade são instigados.

O resultado é uma riquíssima experiência de engajamento capaz de educar os participantes, aproximar grupos distantes (sejam de clientes, sejam de colaboradores), melhorar o clima organizacional e promover produtos e marcas de uma maneira divertida, espontânea e muito eficiente.

Essas dinâmicas interativas estão ganhando destaque porque capturar a atenção das pessoas tem sido um desafio cada vez maior. São muitos estímulos, preocupações e compromissos povoando as mentes do público, e por isso, as abordagens inovadoras de live marketing têm sido tão procuradas.

Continue a leitura para entender um pouco mais sobre essa tendência!

O que é gamificação?

Gamificação, ou gamification, é a estratégia de engajamento que consiste na incorporação de elementos de jogos em serviços, apresentações e eventos. Artifícios como desafios, vilões, fases, colocações, prêmios e trabalho em equipe são frequentemente trabalhados.

Embora muitos digam que esse tipo de abordagem crie apenas experiências lúdicas ou nostálgicas, a proposta da gamificação é desenvolver atributos benéficos para a vida adulta e profissional como a coragem, a cooperação, a desenvoltura, força de vontade, persistência entre outros.

Essa prática já está em toda a parte. Em aplicativos e plataformas online, no dia a dia de companhias, nas campanhas de marketing e vários outros locais, porém, são nos eventos que essa estratégia realmente ganha corpo e destaque.

Gamificação em plataformas digitais

Empresas que administram aplicativos, marketplaces e lojas online estão percebendo que a gamificação pode ser uma excelente ferramenta para engajar e reengajar usuários dentro de suas plataformas.

Sistemas de pontuação, níveis de atuação e prêmios (como descontos e tickets) são maneiras brilhantes de estimular as pessoas a continuarem utilizando o serviço e consumirem mais.

Gamificação na gestão de empresas

Escritórios frios e procedimentos engessados estão cedendo cada dia mais espaço para ambientes de trabalho flexíveis e estimulantes. O colaborador não pode ser mais visto como uma mera engrenagem de um grande relógio, são pessoas que precisam ser valorizadas e motivadas para entregar resultados satisfatórios.

Nesse sentido, os gestores também apostam na gamificação da rotina profissional para melhorar o desempenho e o comprometimento de trabalhadores. Times, avaliações e prêmios por produtividade são muito comuns, e quando trabalhados com eventos corporativos geram resultados ainda mais surpreendentes.

Gamificação em eventos empresariais

Ao participar de um jogo, as pessoas são capazes de mergulhar em uma outra realidade, se esquecerem de seus problemas cotidianos e perderem a noção do tempo. Se divertem ao mesmo tempo em que aprendem, socializam e se motivam. Esse tipo de envolvimento é essencial para o sucesso de um evento.

No contexto corporativo, a gamificação é capaz de trabalhar vários sentimentos importantes para o êxito profissional. Os principais deles são:

  • produtividade;
  • autoconfiança;
  • otimismo;
  • propósito.

A estratégia também funciona em eventos de lançamento, campanhas publicitárias e ações de branding. Os resultados, no entanto, são praticamente os mesmos: forte engajamento, educação, aceitação e muito buzz (boca a boca).

Como aplicar a gamificação em um evento?

Todos os jogos, desde as brincadeiras infantis aos videogames, seguem alguns princípios que devem ser explorados em sua estratégia de gamificação. São eles:

  • regras: todo jogo apresenta regras que não apenas garantem a justiça da competição, como, literalmente, moldam a experiência do jogador;
  • objetivos: são os objetivos que motivam o jogador a encarar os desafios, superar as fases e conquistar a vitória, por isso precisa ser algo muito esclarecido;
  • participação voluntária: embora esta premissa varie em algumas competições, os jogos em geral permitem que as pessoas participem ou não e desistam quando desejarem;
  • feedback: não é um padrão, mas a maioria dos jogos fornece feedbacks constantes aos seus jogadores para que possam aprimorar suas habilidades.

Lembre-se, porém, que a ideia da gamificação é transpor a temática dos jogos em outros contextos, não apenas divertindo os participantes, mas promovendo o desenvolvimento deles em uma área de interesse.

Aplicando a gamificação em eventos internos

Se queremos trabalhar a cooperação dentro de uma companhia, pode ser interessante criar competições com participantes de diferentes setores trabalhando juntos em um mesmo time. Essa também é uma ótima maneira de promover o networking.

Em outro momento, caso o objetivo da dinâmica seja promover o estudo de um tema importante sobre um negócio realizado pela empresa, por exemplo, um quizz interativo pode ser uma boa forma de desafiar os colaboradores e fixar seus conhecimentos.

Aplicando a gamificação em eventos externos

A gamificação é muito conhecida em lançamentos do cinema. Várias estreias já foram precedidas de grandes campanhas de engajamento com fãs, incluindo desafios em websites, puzzles em eventos locais e várias outras iniciativas criativas.

Atrelar o lançamento de produto a uma estratégia de gamificação é uma forma brilhante de despertar a curiosidade e a atenção da audiência de maneira rápida, e ainda estrear no mercado com muitos depoimentos, matérias e opiniões positivas.

A gamificação sempre funciona?

Como em qualquer estratégia de marketing, é imprescindível estudar o seu público (interno ou externo) antes de investir em qualquer iniciativa empresarial.

Em geral, a gamificação é capaz de gerar engajamento em qualquer tipo de pessoa, mas os jogos devem estar alinhados com as preferências do público.

Recursos tecnológicos como realidade aumentada e inteligência artificial costumam funcionar melhor com uma audiência mais jovem e mais familiarizada com dispositivos eletrônicos. Com públicos mais maduros, as dinâmicas mais básicas têm um desempenho melhor.

O comportamento e o perfil das pessoas também são fatores que devem ser considerados na elaboração do jogo.

Nem todas as pessoas se sentem à vontade em determinadas situações, principalmente quando pensamos em um evento público, e, certamente, seria terrível provocar desconfortos e momentos embaraçosos para os participantes.

Entretanto, com muita empatia e profissionalismo, a gamificação só tem pontos positivos para agregar ao seu negócio, principalmente nos eventos que sua empresa promove.

Nunca se esqueça que as pessoas não estão realmente em busca de serviços, marcas ou produtos, o que elas querem mesmo são experiências, e quanto mais você focar nisto, mais sucesso terá.

Gostou do artigo? Então não deixe este conhecimento morrer aqui. Compartilhe nas redes sociais e nos ajude a espalhar boas ideias!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-