Merchandising no ponto de venda: 8 erros que você não pode cometer

merchandising no ponto de venda
6 minutos para ler

Acertar o merchandising no ponto de venda exige bastante dedicação. De fato, qualquer problema nesse setor prejudica o relacionamento com o cliente e reduz os lucros. Portanto, para evitar que isso aconteça, você precisa encontrar soluções que mostrem o conceito da marca como estratégia de fidelizar consumidores. 

O grande segredo está em identificar todos os erros com a intenção de criar um planejamento adequado. Só assim será possível surpreender no desenvolvimento de ações certeiras. Além disso, também fica muito mais simples se destacar sem deixar a qualidade de lado.

Quer saber mais? Elaboramos uma lista com os 8 erros mais comuns no merchandising que atrapalham o desempenho do PDV (ponto de venda). Acompanhe!

1. Não pensar no público

Para ser bem-sucedido, tanto em vendas quanto em qualquer outro tipo de relacionamento no mercado, você precisa pensar no público. Isso porque caso ele não se identifique com a proposta apresentada, de nada adianta fazer um planejamento de marketing.

Sendo assim, o mais importante é investir em uma pesquisa detalhada sobre o perfil dos clientes, suas preferências e, especialmente, interesses de consumo. A partir de informações detalhadas, fica mais fácil criar uma estrutura de merchandising que gere engajamento e aumento dos resultados positivos em pouco tempo. Conheça, abaixo alguns tópicos indispensáveis na conclusão da pesquisa:

  • hábitos de consumo;
  • faixa etária;
  • classe social;
  • informações demográficas;
  • preferências;
  • principais dores no consumo;
  • nível de educação. 

2. Descuidar da iluminação

Pode até não parecer à primeira vista, mas a iluminação de um PDV faz muita diferença na decisão de compra dos clientes. Por esse motivo, o marketing deve prestar muita atenção nos pontos quentes e frios do ambiente para estimular que as pessoas se sintam confortáveis de maneira inconsciente.

O problema, nesse caso, está na dificuldade que algumas marcas apresentam em encontrar equilíbrio no campo de visão. Por exemplo, luzes muito baixas causam uma sensação de lugar tristonho e sem vida. Já cores acessas em excesso são desconfortáveis visualmente.

Dessa maneira, use as lâmpadas estrategicamente de acordo com o perfil do público traçado sem esquecer de trabalhar a imagem dos produtos mais solicitados. 

3. Equipe mal preparada

Mesmo que a sua marca tenha os melhores produtos do mercado, sem uma equipe bem preparada, dificilmente a qualidade se converte em números. Afinal de contas, quem nunca deixou de efetuar uma compra por conta da postura do atendente, não é mesmo?

Esse tipo de problema afasta os interessados até mesmo diante de promoções únicas. Por isso, a equipe deve ser o ponto alto do conceito da empresa com a intenção de criar um relacionamento de confiança com o consumidor.

Saiba que investir em cursos de capacitação para que todos entendam qual o objetivo da marca se mostra fundamental na hora de se destacar da concorrência com um conceito que vai além do serviço prestado. 

4. Ofertas logo na entrada

O responsável pelo planejamento de marketing deve ter um cuidado especial com a área de entrada da loja ou do estande. O motivo é que esse espaço é a primeira impressão que o público tem da marca e ele deve representar estrategicamente o conceito de qualidade oferecido no mercado.

Então, pense na criatividade como forma de liberar a circulação e evite o famoso “bacião” de promoções, já que isso faz com que os consumidores não se interessem por outras etapas do PDV pela diferença de preço.

5. Esquecer de alterar a vitrine

Uma vitrine que sempre tem a mesma cara traz a sensação de que a marca não apresenta novidades em seus produtos. Esse tipo de problema acontece muito quando a marca consegue montar algo incrível com itens pedidos pelo público e acredita que os bons resultados iniciais são suficientes.

Tenha em mente que mesmo fidelizando alguns compradores, a diferença grande no financeiro está em atrair novos consumidores com frequência. Sendo assim, monte um calendário de mudanças para que de tempos em tempos novas opções façam diferença na visão do público.

6. Mostrar só os mesmos produtos

Esse tópico funciona como uma espécie de complemento da ideia citada anteriormente. Muitos logistas, mesmo mudando as opções da vitrine, escolhem produtos muito semelhantes com frequência. Ou seja, o excesso de repetições também gera um problema de relacionamento com os consumidores. Muito mais do que ter itens da moda, torna-se necessário pensar além do que a concorrência está fazendo.

Imagine só chegar em um centro de compras e se deparar com todas as marcas usando as mesmas coisas para promoção. Seria extremamente entediante, não é mesmo? Tendo isso claro, procure por algo que fique fora da curva e surpreenda seu público sempre que possível.

7. Sinalizações constrangedoras

Você sabia que aquela famosa placa escrito “Sorria você está sendo filmado!” funciona apenas como uma forma de deixar seu cliente desconfortável? Claro que muitas lojas usam esse artifício para inibir roubos, porém, existem maneiras menos constrangedoras de alcançar bons resultados.

Pedir para não tocar nas mercadorias é outro exemplo bastante usado e que causa o efeito contrário. Para evitar esse quadro negativo, invista em câmeras de seguranças discretas e outras medidas que contribuam na construção de um ambiente seguro sem deixar o bem-estar do consumidor.

8. Descuidar do estoque

Ficar de olho em um bom gerenciamento de estoque é meio caminho andando para acertar em cheio nas estratégias de merchandising. Ao descuidar dos produtos armazenados, você corre o risco de colocar na vitrine do ponto de vendas opções que não estão disponíveis. 

Por exemplo, expor uma blusa que tem poucos tamanhos pode deixar o cliente frustrado e mostra o despreparo da marca. Ao elaborar uma promoção que possa queimar o filme da empresa, toda a estratégia precisa ser revista com o intuito de agregar valor ao serviço oferecido em uma primeira compra. Veja, a seguir, algumas dicas que ajudam no controle de estoque: 

  • conte com uma equipe de confiança;
  • use ajuda tenológica para controlar o estoque;
  • faça um planejamento detalhado;
  • tenha um calendário de verificação periódico;
  • planeje as compras com base no histórico de movimentação. 

Pronto, agora você já sabe como acertar no merchandising no ponto de venda. O mais importante, em uma situação desse tipo, é trabalhar as ideias com base no conhecimento sobre os consumidores. Outro ponto decisivo está na chance de contar com a ajuda de parceiros em eventos para alcançar a audiência e fidelizar em longo prazo. 

Gostou das informações deste artigo? Então leia também sobre os principais motivos para contratar uma agência especializada em live marketing

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-