Você sabe o que é storytelling e como usá-lo estrategicamente?

o que é storytelling
7 minutos para ler

Se você nunca ouviu falar ou ainda não entendeu exatamente o que é storytelling, saiba que esse estilo nada mais é do que uma maneira estruturada de contar histórias, sejam elas sobre sua vida pessoal e sua carreira, sejam sobre sua marca ou a ideia que ela pretende promover.

Todo acontecimento traz consigo um enredo, uma sucessão de acontecimentos que culminam na pessoa que você é hoje, por exemplo, ou a empresa que ajudou a construir. As histórias são uma das premissas básicas da comunicação, pois são ricas e sensíveis, fazem com que as pessoas não apenas interpretem, mas também vivenciem o conteúdo recebido.

Neste post vamos falar sobre a arte do storytelling e te ensinar como contar histórias que inspirem e cativem a sua audiência. Continue a leitura para conferir!

O que é storytelling?

O storytelling não é uma coisa nova, é uma técnica já utilizada pela publicidade há muitas décadas, mas que só começou a ser discutida em profundidade nos últimos anos, principalmente após a sua ampla utilização em campanhas de marketing digital.

A primeira diferença entre a comunicação tradicional e o storytelling é que o último apresenta um caráter menos invasivo e muito mais persuasivo — e vale ressaltar que persuasão, nesse contexto, nada mais é do que contar uma história melhor do que aquela que a outra pessoa tem em sua cabeça.

Mas não pense que um bom storytelling se limita apenas a escrever uma história dramática sobre um produto prestes a ser lançando ou um evento que sua empresa irá promover. Você só conseguirá cativar a sua audiência se antes conhecer essas pessoas em detalhes.

Uma boa história depende de uma linguagem adequada, um contexto realista, um enredo atraente, personagens bem definidos, um clímax e uma desfecho interessante. É como tecer uma colcha de retalhos, instigando, emocionando e conduzindo seu público passo a passo.

Como o storytelling funciona em eventos?

Quem está começando a entender o que é storytelling pode achar que a técnica se limita a venda de produtos e a promoção de marcas, mas, na realidade, seus potenciais vão muito além disso.

Uma bela história não apenas é capaz de transformar completamente a energia de um evento, como ainda pode ajudar a aumentar a expectativa por outros.

A Apple sempre foi uma empresa perita em storytelling. Todos os seus eventos de lançamento instigam a curiosidade dos clientes com a promessa de produtos exclusivos, vários deles disruptivos, e toda a apresentação é pautada na evolução da marca e seus ideais.

Um detalhe importante nesse exemplo é que o cliente não é apenas um espectador das façanhas mercadológicas da companhia, ele tem a oportunidade de viver a história da empresa participando desses eventos e consumindo suas soluções.

Um dos pilares do storytelling é a empatia, é preciso fazer com que o público se identifique com a história e seus personagens.

E se em uma campanha de branding ou em uma página de vendas esse efeito é capaz de gerar forte engajamento e fidelização, em eventos o seu poder é ainda maior, pois neles é possível fazer com que as pessoas realmente vivam a experiência contada.

Como criar um storytelling tocante?

Certo, você já entendeu a importância de transmitir a mensagem da sua empresa como uma história, agora é hora de descobrir como utilizar essa estratégia na prática. Vamos lá?

Conheça seu público

Você nunca conseguirá se conectar verdadeiramente com sua audiência se não conhecer o seu comportamento, as suas dores e seus desejos. É fundamental ir além de abordagens muito generalistas como “público-alvo” e passar a utilizar definições mais assertivas como buyers personas.

Personas são personagens criadas a partir de dados reais da audiência para representarem o “cliente ideal” de uma companhia. Elas devem ter um nome, uma idade e uma profissão e ainda revelar seus problemas, desafios e ambições. Sua persona pode ser um personagem perfeito para seu storytelling!

Provoque empatia

Quando nos identificamos com um personagem, um contexto e outros elementos de uma história, associamos essa informação a várias outras experiências e conceitos fixados em nosso cérebro. Isso, por si só, já fará com que o storytelling seja muito mais memorável.

Após estabelecida essa identificação, o espectador passará a tentar compreender as emoções do personagem. Essa é a empatia, quando nos colocamos no lugar do outro para entendermos o seu ponto de vista. Perceba que é nesse momento em que as pessoas, literalmente, se envolvem com história.

Crie expectativas

Criar expectativas nada mais é do que antecipar emoções. Para que as pessoas sejam motivadas a acompanharem uma história ou prestigiarem um evento até o fim é necessário providenciar “amostras” do que elas irão sentir.

Criar campanhas com cenas emocionantes das últimas celebrações é uma excelente maneira de inspirar o público, assim como apresentar um depoimento de sucesso e aguçar a curiosidade do espectador sobre os meios pelos quais o personagem conquistou seus objetivos.

Desenvolva uma narrativa eficiente

O storytelling depende de uma narrativa envolvente capaz de conduzir o leitor ou espectador ao longo de todas as etapas em que a história se desenvolve. Alguns dos elementos de uma boa narrativa são:

  • personagem baseado no público: a ideia é fazer com que as pessoas se identifiquem com a história, pois isso as estimula e aumentar o valor do conteúdo em suas mentes;
  • contexto visual: é interessante descrever o ambiente onde tudo acontece, isso auxilia a memorização e pode ser incorporado à temática de um evento;
  • diálogos reais: uma conversa autêntica esclarece a comunicação e faz com que nos desprendamos da perspectiva do narrador e vivenciemos a experiência do personagem;
  • emoções: os sentimentos do personagem precisam ser muito bem trabalhados e esclarecidos para que as pessoas realmente criem empatia sobre ele;
  • conflito: neste ponto você trabalhará as dores do seu público, suas consequências e frustrações;
  • clímax: o ponto de virada em que sua solução é apresentada ou os acontecimentos da história seguem para uma resolução.

Faça do meio a mensagem

Em casamentos é muito comum trabalharem a cerimônia fazendo com que os convidados se sintam parte da história dos noivos.

Um exemplo no meio empresarial são os patrocinadores que inserem suas marcas em eventos por meio de vídeos, brindes ou bebidas personalizadas.

A ideia, portanto, é reunir todos em um grande storytelling e produzir uma história repleta de acontecimentos que será contada muitas vezes depois.

Palestras de gestores, colaboradores e clientes bem-sucedidos podem ser uma storytelling por si só capaz de gerar forte conexão e engajamento, porém todas essas histórias farão parte de uma narrativa maior (o evento) que, por sua vez, fará parte de uma narrativa ainda maior (a evolução dos eventos da empresa) e que, por fim, constituirão a grande história da companhia.

Quando você entende o que é storytelling, fica fácil entender porque ele funciona e as oportunidades que surgem ao transformar uma companhia em uma contadora de histórias.

As empresas estão buscando novas formas de se aproximarem das pessoas de uma maneira mais natural e humana, e convenhamos: não há nada tão humano como compartilhar histórias.

Gostou do nosso conteúdo? Que tal receber outros post como este direto na seu e-mail? É só assinar a nossa newsletter!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-